quarta-feira, 16 de setembro de 2009

PAINEL VAREJO PRIMAVERA VERÃO 2010

PAINEL VAREJO PRIMAVERA VERÃO 2010
Fonte: Material Palestra TEXBRASIL -NÚCLEO DE MODA ABIT


Uma tendência de moda além da imaginação: formas criativas com conforto, cores num estilo CANDY COLOR, nostalgia do cotidiano, revival dos anos 80... mistura do conceito de VIDA REAL X FANTASIA.
- Direcionamentos criativos: cor e forma:


COTIDIANO
ANOS 80

VIAGENS - SAFARI


ARQUITETURA
CORES:





Projetos Desenvolvidos (2004) - TCC

PROJETO IRACEMA - NOVO CONCEITO EM DESIGN DE INTERIOR PARA VEÍCULOS FEMININOS COM ÊNFASE NO DESIGN SUSTENTÁVEL
Por Rachel Quadros


Com a ameaça da escassez dos recursos naturais, necessita-se de um olhar especial para alternativas de forma que o desenvolvimento socioeconômico seja baseado numa filosofia de sustentabilidade. Como o impacto da seção industrial na deterioração ambiental é significante, é fundamental que os efeitos do processo produtivo no ambiente e as necessidades desses efeitos sejam consideradas na economia, principalmente no setor têxtil, seja de tecnologia do desenvolvimento de novas fibras à confecção propriamente dita, que atualmente é um setor em destaque na economia brasileira, tanto como produto de exportação. A introdução de capital natural na análise econômica se faz necessária com os custos da degradação ambiental e do consumo de recursos naturais, eles não foram acrescentados aos processos produtivos, enquanto sendo avaliado os fluxos de ações naturais e contribuindo à definição de uma balança ecologicamente correta à economia. Assim pretendeu-se analisar a relação entre o processo de produção de produto elaborando o design têxtil de interiores de automóveis, bem como os bancos e seu contexto estético: painel e utilitários, utilizando materiais que respeitam os ideais do ecodesign, incorporando as tendências do mercado de moda, tendo em vista que as tendências de cores e texturas que se vêem nas vitrines exibindo os produtos de moda, estão intrínsecas as criações e o desenvolvimento tecnológico que as indústrias automobilísticas propiciam.

Objetivo Geral Oferecer ao mercado automobilístico novas possibilidades ou soluções de design têxtil para bancos (traseiros e dianteiros) e painel dentro conceito [1]cluster, utilizando novas padronagens e materiais diferenciados, respeitando a harmonia do seu interior e valorizando a sua estética externa. Além de procurar o máximo de aproveitamento dos materiais utilizados e a diminuição de resíduos industriais.

Metodologia de projeto




Perfil de consumidor

Estado do design


video

Estado do design

Afinal o que as mulheres querem? Se o assunto é automóvel, a resposta é o YCC, da Volvo, um carro também projetado por toda uma equipe feminina de 20 mulheres, o protótipo do YCC, foi exibido no Salão de Genebra em março de 2004. A idéia que norteou o projeto foi a de que as necessidades automobilísticas das mulheres vão muito além de todas as expectativas masculinas. Segundo Careli (2004), “em termos de potência e formas externas elas não procuram um carro muito diferente daquele desejado pelo homem, o que as mulheres querem a mais são soluções inteligentes que tornem a vida mais prática, o que não falta neste modelo são boas idéias com ênfase na criação de espaços extras”, afirma a autora.

Conceito do projeto


Temática do projeto


Geração de alternativas

Função Estético formal do projeto


De acordo com o planejamento das industrias automobilísticas a elaboração de novos modelos depende diretamente da responsabilidade da conectividade dos responsáveis pelo projeto. Como foi constatada anteriormente, a relação moda e automóvel possuem uma relação de interdependência, por isso é preciso determinar inicialmente seu cliente de projeto: Indústria de Veículos; seu cliente comprador: empresas com visão empreendedora; seu cliente usuário: mulheres usuárias de veículos no meio urbano, referente a um mercado em potencial crescente; seu cliente capitalista: toda atividade econômica proveniente da exploração do setor automobilístico e moda e seu cliente sociedade: contexto ambiental.
O projeto iracema é um conceito de interior para carro feminino que resgata valores culturais do Brasil enfatizando a beleza doce da mulher brasiliera.

Obrigado à meu irmão Adriano Quadros - Designer de produto Comil - Erechim RS. Contribui em minha vida como maior inspiração ...
Meu orientador Dr. Paulo César Machado Ferroli.


Rachel Quadros – Docente
Graduada em Design com Habilitação em Moda da Universidade do Vale do Itajaí
Campus II – Balneário Camboriú - SC – Brasil
Pós-graduada em Arquitetura e design de interiores na Universidade do Oeste de Santa Catarina – Xanxerê – SC - Brasil.

____________________________________________________________________________________
[1] Conceito Cluster: na definição de Lobo (2000), é uma concentração geográfica de atividades no desenvolvimento de novos produtos, que adquirem vantagens competitivas através da sua implantação próxima para o mercado globalizado.

quarta-feira, 9 de setembro de 2009

Orgulho: DESIGNER DE MODA UNIVALI

Família UNIVALI
Por Rachel Quadros

Que tempo bom de estudante, fiz faculdade de Bacharel em Design com Habilitação em Moda na Universidade UNIVALI, me formei em 2004, foram 4 anos ... de muito estudo, trabalhos, e muitos trabalhos, tempo que transformou meu mundo, UNIVALI, Universidade do Vale do Itajaí em Balneário Camboriú Santa Catarina, saudades de um tempo que não volta, mas as amizades ficaram no coração, a professora Bianka Capucci, hoje coordenadora do curso, um dos exemplos mais presentes hoje naquilo que projeto como perfil de profissional que vive e ama o design, Flávio Santos doutor e maior incentivador de trabalhar o design mediante o uso de metodologias projetuais, coordenador do curso de Design com habilitação em Produto, Paulo César Machado Ferroli, engenheiro digo!!!! também designer!? pois como ninguém me ensinou a ver o design de uma forma mais precisa e matemática. Maria Cristina Iglesias, AMADA me fez observar a história da arte e da moda com olhos mais apetitosos, Egéria Hoeler, modelagem com muito apreço e carinho, Salomão Ribas um gênio na arte do design de produto, Jacqueline Keller: MARAVILHOSA em todos os sentidos de coração e de conhecimento sobre moda, Manuel Salomon Jarufe , "pero que si pero que no: ergonomia es la ciencia mas importante no design". Todos meus professores foram mestres fundamentais e imprescindíveis em minha formação intelectual e humana. Por este tempo de graduação esta foi minha família a FAMÍLIA DO CONHECIMENTO UNIVERSALIZADO.
ありがとう
MERCI
DANKE
ΕΥΧΑΡΙΣΤΟΥΜΕ
GRAZIE MILE
THANKS
Depois de vivenciar um pós, cursos de especializações, concurso de mestrado... sinto saudade daquele tempo em que:

" DAVA-SE ASAS A LIBERDADE DE CRIAÇÃO ATRAVÉS DA EXPERIMENTAÇÃO E DO CONHECIMENTO DO NOVO".
video

O moda acontece de forma linda na Univali: Parabéns acadêmicas pelo belíssimo trabalho apresentado no Santa Catarina Moda Contemporânea Renaux View 2009.

Programa Produção de Moda: CAPRICHO

Reality de Produção de moda

A CAPRICHO está em busca de um novo estagiário para seu departamento de estilo!

Para isso, a revista se uniu ao canal Boomerang e foi procurar, nas melhores faculdades de moda de São Paulo, quem vai ocupar o cargo. E assim começou a Temporada de Moda CAPRICHO! Produzido pela Primo Filmes, os mesmos produtores de "O cheiro do ralo", e apresentado por Adriana Yoshida, editora criativa da CAPRICHO, o programa mostra tudo o que rola nos editoriais da maior revista teen do Brasil. Você vai acompanhar os dramas e conquistas dos dezessete participantes a medida que vão cumprindo suas tarefas: produzir e executar um editorial de moda a cada episódio! Toda semana, eles terão a oportunidade de trabalhar com os melhores profissionais do mundo da moda, que também farão parte do júri junto da redatora-chefe da CAPRICHO Tatiana Schibuola e da estilista e colunista Thais Losso. Além disso, o programa ainda contará com participações mega especiais do mundo da música. Ao final de cada episódio, os participantes defendem os looks que montaram e escutam os elogios e críticas do júri. Daí, não tem jeito: alguém vai ter que ser eliminado. O desafio vai aumentando até que fique apenas um: o vencedor, que ganhará um estágio de seis meses como produtor de moda na CAPRICHO! Temporada de Moda CAPRICHO vai ao ar toda quarta-feira, às 21h, no canal Boomerang.

Fonte texto:

http://republica.capricho.abril.com.br/temporadademoda/index.php


O programa visualiza a oportunidade de poder observar e vivenciar a realidade do quanto o produtor de moda é importante no editorial e na composição visual de uma proposta estética.

PRODUÇÃO DE MODA

CONCEITOS FUNDAMENTAIS SOBRE PRODUÇÃO DE MODA: EDITORIAL
Por: Rachel Quadros

Editorial de moda: É o registro jornalístico de uma notícia de moda feito a partir de uma imagem.

Editorial Carlos Miele para Vogue Brasil Foto: Michel Roberts



Editorial Carlos Miele para Vogue Brasil Foto: Michel Roberts


Editorial Carlos Miele para Vogue Brasil Foto: Michel Roberts

A sensibilidade da fotografia de moda é um conjunto de olhares entre os profissionais envolvidos: fotógrafo, stylist, produtor, beauty artist, diretor de arte, cenógrafo, modelo...
Repensar as formas de fazer o editorial de moda é: mesclar os conhecimentos sobre contexto estético, contexto de comunicação verbal e não verbal, contexto do conceito de produto e target market.
A moda como ferramenta de comunicação dever transmitir conceitos de cor; linha, forma, textura e silhueta através de uma composição visual aplicada nos produtos de seus segmentos.

Texturas e cores na moda são essenciais para traduzir um conceito.


Alimentar o intelecto permite a abertura de ideias inovadoras e diferenciadas, não basta apenas entender de moda ou de composição de estilo, é preciso compreender a dinâmica que existe entre cor, luz, elementos do design e estética.

Para o entendimento do editorial de moda é necessário realizar uma Leitura da foto: que consiste na técnica em que se apropria de elementos de uma fotografia para criar elementos estéticos no layout. Os passos a seguir determinam essa análise:

1º - Análise da fotografia:-Quem é o sujeito (elemento ou tema principal) na foto?-O sujeito está na vertical ou na horizontal?-Qual é o tipo de enquadramento?-O sujeito está em movimento?-Onde ocorre a ação (predicado)?-Existe alguma textura na foto?-Existem linhas, curvas e figuras geométricas?

2º - Estudo sobre as cores

As cores influenciam diretamente no resultado final da composição visual e da atmosfera da estética que pretende-se criar, a composição das cores parte do princípio das cores primárias em pigmentos (Amarelo, Vermelho e Azul) e em luz (Vermelho Verde Azul), sucessivamente a cor pode misturar-se e criar novas gamas: secundárias, terciárias e complementares ao círculo cromático.

A cor transmite uma sensação cinestésica na experiência do espectador da foto.


A cor representa um tom, ou seja uma a característica cromática em si, para dar uma gama de colorimetria diferenciada existe o que chamamos de matiz que é o valor, ou seja do quanto a cor é clara ou escura, bem como a saturação (croma), ou seja, quanto a cor é mais ou menos presente, quando comparada a um cinza de mesma luminosidade.

A cor também pode ser abstraída e a foto pode ter mais dramaticidade com a composição P&B, preto e branco, observando as nuances de luz e sombra que compões a plasticidade.


Esta capacidade de observação sobre o conceito da cor que é refletida na luz que incide no meu objeto que está sendo fotografado deve ser compreendido pelo fotógrafo, pelo stylist, e também pelo produtor, afinal de contas ambos procuram um equilíbrio ao conceito que se quer passar.

A composição visual deve acompanhar o conhecimento sobre a composição do espaço que determina o enquadramento da estética total, compostas por todos os elementos de cena: modelo, objetos cênicos, luz e cor. Existem diferentes tipos de espaço, porém o que deve ser compreendido e fundamental são os eixos dimensionais deste espaço â vertical / horizontal, que consequentemente transmitem o valor de observação que pode se dar da esquerda/direita, de acima/abaixo dando a sensação de “profundidade” ou não.

A interpretação do layout é realizada pela leitura do:
-PRIMEIRO- Registro visual
- SEGUNDO -Registro gráfico
- TERCEIRO - Registro escrito

Os principais elementos para abstrair uma composição visual de através de um equipamento fotográfico é a escala e o foco dado a partir da lente (alma da máquina) que é capaz de proporcionar os sentidos de movimento e profundidade da imagem.


DICA EM BUSCA DA HARMONIA PERFEITA: A “regra dos terços na fotografia”, também pode ser uma forma de compor harmonicamente a foto, buscando o visual perfeito, a regra é simples, porém, depende da percepção e da sensibilidade de cada profissional envolvido na produção. Este princípio consiste em dividir, de forma imaginária, através de 4 linhas (2 verticais e 2 horizontais) aquilo que vemos através do visor da câmara. Desta forma a cena fica dividida em 9 partes iguais. São precisamente estas linhas que vão dividir a cena em terços. Quer horizontalmente, quer verticalmente ficamos com a imagem dividida em 3 partes iguais. Essas linhas imaginárias, que dividem a cena, servirão de guia para “centrar” o objeto principal da nossa fotografia na intercepção das verticais com as horizontais, é tudo por uma questão de enquadramento, de composição e de estética: o ponto de intersecção entre as linhas são chamados de ponto de ouro. Uma dica fundamental também é a utilização de 2/3 ou 1/3 do espaço para objeto de foco no enquadramento.

Editorial Vogue Brasil

Editorial Vogue Brasil

Editorial Vogue Brasil

Editorial Vogue Brasil

Pensar no layout de composição é refletir sobre os princípios de visualização dos objetos do enquadramento entre:
-Unidade;
-Ênfase;
- Harmonia, equilíbrio e proporção;
-Movimento e ritmo (narrativa).


"Há leis de proporção, de luz, de sombra e de perspectiva, que é preciso conhecer para desenhar um motivo; se essa ciência nos falha, arriscamos travar eternamente uma luta estéril e não conseguimos nunca criar." Van Gogh


Conhecer o equipamento também permite dar à composição visual as varáveis do processo fotográfico:

- movimento: a velocidade que se pode dar a composição visual depende tempo de exposição do OBTURADOR ou seja, fração de segundos que deixo exposto o filme.

- sensibilidade: capacidade para reagir a uma dada “quantidade” de luz, produção de um registro visual o mais próximo possível da realidade, condições de (maior ou menor) intensidade de luz em que um filme pode ser usado para um resultado “ideal”. Consequência visual: granulosidade.

Granulosidade de foto.

-profundidade de campo: nitidez além e aquém do plano focalizado depende da abertura do diafragma proposto: (tamanho do orifício da passagem da luz: a abertura).




"Cada um possui uma sensibilidade, que deve ser aplicada na forma como vemos as coisas com um olhar mais aproximado, fazer produção na fotografia para editoriais de moda é uma tarefa que demanda de muita concentração e sensibilidade visual sobre os elementos de estilo: aplicados na cor, na forma, na textura, na luz , no enquadramento da composição e no conceito que se quer comunicar." Rachel Quadros.

sábado, 5 de setembro de 2009

Sentir o vento...

"Leve brisa que passa

enobrece minha alma

num leve toque ...

através dos olhos,
janelas da percepção...verdade...
... sinceridade..."





INSPIRAÇÃO :



CELEBRAR A VIDA!!!!!!!!!!!!